O Poder da Oração de Jesus: O Testemunho da Monja Tatiana (1912)

O texto a seguir é do livro russo "Orthodox Miracles in the Twentieth Century", pág. 305-311. (Da tradução grega, pelo Santo Mosteiro de São Cipriano e Justina em Fili, Grécia).

O Poder da Oração de Jesus: O Testemunho da Monja Tatiana (1912)
Monastic Schema Nun - Imagem meramente ilustrativa



Após o culto da manhã, às 5:00, eu mal tinha me esticado para descansar, quando uma visão incomum começou. Eu me vi em São Petersburgo, na Ilha Vasiliev. Eu estava indo à Divina Liturgia na Catedral de São Nicolau. Eu estava usando meu Schema monástico e sentada em uma pequena carruagem.

De repente, me vi em uma praça escura. Assustada e dominada pelo tremor, corri em diferentes direções, procurando uma saída para essa terrível situação. De repente, vi centenas de pessoas chegando. Eles eram todos leigos. Seus rostos estavam escuros, atingidos por uma tristeza eterna, com rostos iguais ao meu.

"Quem é Você?" Eu perguntei pra eles.

Eles responderam: “Nós passamos repentinamente para a Eternidade, assim como você.”

O que eu senti naquele momento é indescritível! O medo e o tremor permearam todo o meu ser. Nesse momento, um homem radiante, cujo semblante estava velado pela luz que emitia, veio até mim e disse: "Siga-me." E ele me levou ao lugar onde as almas dos mortos são julgadas.

Ele me levou por florestas, estepes e edifícios. As estepes eram intermináveis ​​e compreendi que havia deixado para trás minha vida terrena e que havia entrado na vida além-túmulo, mas despreparada e inesperadamente.

Ele então me levou a uma câmara, onde uma multidão de leigos, homens e mulheres, adultos e crianças, estavam reunidos. Todos estavam possuídos por uma dor perpétua. Havia uma senhora sentada em uma mesa enorme no meio da câmara, e ela me disse: “Este lugar está preparado para você até a Segunda Vinda do Senhor.”

Olhei para todas as pessoas ali e perguntei: “O que vocês fazem aqui? Vocês oram a Deus neste lugar?”

Eles responderam com tristeza: “Na Eternidade o Senhor não nos ouvirá, porque temos nos comportado de maneira descuidada durante nossa vida na terra. Nunca teremos a ousadia de invocar o Nome do Senhor. Quando vivíamos na terra, nos foi dada a tarefa de sofrer e orar por nossas almas. A ordem de Cristo, ‘orai sem cessar’ (Tessalonicenses 5:17), era nosso dever. Embora devêssemos ter orado a Oração de Jesus ao longo de nossas vidas, com cada respiração nossa, não prestamos atenção ao estado de nossos corações. Mas, assim como não se pode viver sem ar, também a alma morre sem oração incessante. Éramos indivíduos que nos conduziamos de maneira adequada; cumpriamos todos os nossos deveres, mas não o mais importante, o da oração.”

Ao ouvir isso, comecei a orar e a fazer o sinal da Cruz. E o que aconteceu? Para meu horror, percebi que o som da minha voz voltava para mim! Olhei ao meu redor e vi um teto de metal, paredes e um piso de madeira pintado. Comecei então a tremer de medo ao perceber que não poderia fugir daquela situação desagradável.

As pessoas ao meu redor disseram: “Na Eternidade, o Senhor não nos ouvirá. Somente aqueles que estão vivos na terra podem se lembrar de nós diante Dele.”

E então a senhora começou a falar comigo: “Essas pessoas eram bons cristãos. Eles amavam o Senhor e praticavam boas obras para o próximo, mas não adquiriram o Senhor em suas almas. Eles acabaram aqui, como você, por causa da vida negligente, pois achavam que todos viviam da mesma maneira.”

"Oh!" Eu disse. “Oh, como estou atormentada e sofro! É como se o fogo estivesse me queimando!” Eu caí, com a sensação de que meu corpo estava se separando de meus ossos.

"Que tipo de vida você desejava?" a senhora me perguntou. Eu respondi tremendo: “Eu teria gostado de uma vida tal que, quando morresse, veria as coisas terrenas e celestiais, o Senhor e a Mãe de Deus.”

Nesse momento, a senhora sorriu e disse: “Apenas os santos entram na eternidade desta maneira, aqueles que, por meio da Oração de Jesus, adquiriram o Senhor em seus corações em vida. Mas você é uma monja e, no entanto, não aprendeu isso! Por meio desta oração, a Graça de Deus vem habitar em você, e quando a alma se afasta do corpo, está com Cristo e não sente esse tremor que você está experimentando agora.

O paraíso está na alma de um homem; onde o Senhor está presente, aí está o Paraíso também.

Você deve falar sobre sua visão a todos os monges e a todos os cristãos que vivem na terra e estão indo para a perdição por causa de sua negligência. Apenas não fale sobre isso aos incrédulos e àqueles cuja fé é fraca. O Todo-Poderoso é capaz de ressuscitar um homem que está morto há cem anos, a fim de provar que existe vida após a morte; mas uma pessoa assim criada não seria acreditada, e eles iriam matá-la.”

Enquanto a senhora pronunciava essas palavras, de repente senti alguma esperança de que voltaria à Terra! Todos aqueles que estavam na câmara de metal me perfuraram com seus olhares, dizendo: "Bem, então, você pretende que ela saia desta câmara de tortura terrível?"

A senhora continuou: “Se alguém morre enquanto recita a Oração de Jesus, sua alma fica na presença do Senhor e ele será inseparável Dele por toda a eternidade. Da mesma forma, se um homem morre enquanto profere a oração, 'Santíssima Theotokos, salve-me, um pecador', então ele será inseparável da Mãe de Deus. Se alguém não é capaz de pronunciar uma única palavra, então, se ele lutou para alcançar esta oração durante sua vida na terra, sua alma a dirá por ele em seu leito de morte. O estado em que a alma deixa o corpo é o estado em que ela permanece.”

Então ela disse: “Ó monges, monges! Vocês se chamam monges e freiras, dizendo que abandonaram as coisas mundanas. Mas como vocês vivem? Não confiam todos os seus problemas a Deus e à Mãe de Deus, mas pensam: ‘Eu preciso ter isso e aquilo; Não posso viver sem uma coisa ou outra.' A Mãe de Deus não cuida desses monges, nem nesta vida nem na próxima. Ela só cuida daqueles que lhe confiam todos os seus problemas, que suportam as aflições, a pobreza e as doenças em nome da Mãe de Deus e dizem: ‘Estas coisas devem agradar à Rainha dos Céus; todos eles vieram sobre mim de acordo com a vontade do Altíssimo.'”

"Você quer que eu lhe mostre os monásticos negligentes?" a senhora continuou. "Olhe."

E eu vi freiras vindo em minha direção, aquelas que serviam no Altar e roubavam dinheiro, sempre segurando nas mãos os pedaços de papel em que estavam registradas as pessoas a quem o dinheiro pertencia.

Também vieram outros que não preservaram sua castidade. Entre eles havia cantores, cujos rostos estavam abatidos pela dor, como o meu, feridos por uma dor eterna.

“Cante um hino à Mãe de Deus; Eu quero ouvir um! ” Eu disse.

E eles responderam: “Não temos mais tanta ousadia, pois quando morávamos no mosteiro não a servíamos com um coração puro.”

Chorei amargamente, pois por causa de nossa desatenção, fomos privados desta bênção de cantar hinos ao Senhor e Sua Mãe Santíssima.

Depois de todas essas coisas que vi e ouvi, o homem que me levou às câmaras de julgamento veio e me disse: “Agora iremos para o lugar onde sua alma está separada de seu corpo.”

De repente, acordei na minha cama. Eu estava com medo de me mover. Olhei em volta da minha cela, arrumei-a, fiz o sinal da Cruz e proferi uma oração: “Glória a Deus, foi só um sonho!” Eu mal tinha conseguido dizer essas palavras, quando de repente me vi de volta na próxima vida, e o homem que estava me guiando me disse: “Não pense que você estava sonhando. Você realmente estava na vida além do túmulo!”

Caí de joelhos diante dele: “Ai de mim! Como sou miserável! Estou de volta aqui novamente. Por que eu só estava preocupada com as coisas na minha cela e não em correr para fugir?”

“Siga-me”, ele me disse. “Visitaremos muitos lugares por vinte dias, e depois retornaremos ao lugar que foi preparado para vocês permanecerem até a Segunda Vinda do Senhor.”

Chorei e não conseguia andar. Ele virou o rosto e olhou para mim com compaixão. Eu perguntei a ele: "Você é meu anjo da guarda?"

"Sim", respondeu ele.

Comecei a implorar-lhe: “Ora ao Altíssimo e devolve a minha alma, para que me arrependa.”

Então meu anjo da guarda disse: "Vou levá-la de volta, mas com uma condição: que conte tudo o que viu e ouviu aqui."

Caí de joelhos e prometi que faria tudo isso. E de repente, naquele exato momento, senti alegria em minha alma. O anjo disse-me: “O Senhor não está no teu coração, mas tu prometeste adquiri-lo. Se você for dominada por um constrangimento tolo e não cumprir sua promessa, você retornará aqui ao seu lugar anterior. Eu estarei com você e observarei como você faz todas essas coisas.”

Imediatamente eu estava de volta na minha cama. Eu pulei, vendo o homem parado ao lado da minha cama. Corri até minha atendente de cela, dizendo: “Eu estava na vida depois da morte!” Depois disso, corri dali até a porta, para contar a todas as Irmãs. O homem ainda estava parado no mesmo lugar. Eu estava com medo de que algo acontecesse comigo. Abri a porta para contar tudo às Irmãs, sem constrangimento e sem esconder nada. Então eu vi que o homem havia desaparecido pela parede. Entrei novamente no corredor em estado de êxtase; Eu convoquei as Irmãs.

Elas se apressaram em me cercar e ficaram surpresas com a mudança extraordinária que viram em mim, que me ocorreu em tão pouco tempo. Elas me viram totalmente calma vinte minutos antes em nosso culto regular. Caí de joelhos diante delas e disse-lhes que a partir desse momento mudaria completamente.

Nenhum terror na terra pode ser comparado ao horror que experimentei na vida após a morte. E até hoje, falo constantemente com todos sobre o que vi, sem qualquer hesitação. Amém!