Não tenha medo


Como sacerdotes, nossa verdadeira nação é a Igreja, e a cabeça de nossa nação é o próprio Cristo. Portanto, nossa resposta pastoral à loucura do cenário político mundial deve ser ajudar nosso povo a permanecer calmo e não sucumbir à raiva, ao desespero ou ao medo.

Nosso povo precisa ver seus sacerdotes como fortes, fundamentados e sem medo. São Paisius, da Montanha Sagrada (Monte Athos), disse nos últimos tempos que não devemos levantar a mão contra o Anti-Cristo, mas apenas salvar a nós mesmos e muitos ao nosso redor como pudermos. Nós, sacerdotes, devemos ajudar nosso povo a lembrar-se das palavras da Escritura: "Não tereis medo das más notícias".

Em última análise, Deus ainda está no comando, e nenhum partido político ou político pode anular essa verdade. Os partidos políticos são corruptos, e os políticos falhos. Mas nada disso nega a nossa responsabilidade como sacerdotes, de manter o povo focado na verdade suprema, que a nossa vida deve continuar a ser focada na aquisição de um coração humilde e contrito.

Não é nossa função, como sacerdotes, envolver-nos em questões políticas ou dizer ao povo como votar, mas apenas como adquirir a paz interior. Para que as pessoas vejam a importância da mensagem salvífica da Igreja, elas devem ver em seus sacerdotes a paz interior que vem com uma vida em Cristo.

Nada neste mundo mudou, e nenhum partido político, nem presidente, nem mesmo imperador, jamais introduzirá "a paz que ultrapassa todo entendimento". Somente Cristo pode fazer isso, e o nosso dever como sacerdotes é apontar o caminho para Cristo.