O Poder da Oração

O Poder da Oração


A oração tem tanto poder e força que poderíamos dizer: “Ore, e faça o que quiser”, pois a oração o guiará para o ato direito e justo. Para agradar a Deus, não é preciso mais do que amor. “Ame, e faça o que quiser, diz santo Agostinho, pois aquele que ama verdadeiramente não pode desejar nem fazer nada que não agrade ao amado.” Como a oração é a efusão e a atividade do amor, dela podemos dizer por analogia: “Ore, e faça o que quiser”, e você alcançará o objetivo da oração. Ela o iluminará.

Para melhor explicar em detalhe esta questão, tomaremos alguns exemplos:

Ore, e pense o que quiser: seus pensamentos serão purificados pela oração. Ela lhe dará o discernimento; ela suprimirá e afastará todos os maus pensamentos. É isto que afirma são Gregório o Sinaíta. Se você deseja exterminar os pensamentos e purificar o espírito, este é seu conselho: “Expulse-os pela oração.” Pois nada é capaz de dominar os pensamentos como a oração. São João Clímaco diz também a respeito: “Vença com o nome de Jesus os inimigos que se apoderaram do seu espírito. Você não encontrará arma melhor do que esta.”

Ore, e faça o que quiser: Seus atos agradarão a Deus e serão úteis e salutares. A oração frequente, não importa a respeito do quê, jamais permanece sem fruto, pois ela carrega em si o poder da graça, e porque “quem quer que invoque o nome do Senhor será salvo.”[40] Por exemplo: um homem que havia orado sem sucesso e sem fervor obtém com esta prece o discernimento e um desejo de arrepender-se. Uma mulher que amava o prazer orava quando estava a sós e esta oração lhe mostrou o caminho da vida virginal e da obediência aos ensinamentos de Cristo.

Ore, e não tente vencer suas paixões com suas próprias forças: A oração as destruirá em você, pois “aquele que está em vós é maior do que aquele que está no mundo”[41], diz a santa Escritura. E são João de Cárpatos ensina que se você não tem o dom do domínio sobre si, você não deve afligir-se mas saber que Deus lhe pede apenas ser diligente na oração, e ela o salvará. Um caso que o demonstra é o do startsi (monge) de quem é dito na Vida dos Padres que, quando caía no pecado, não se deixava desencorajar mas recorria à oração, e por meio dela reencontrava seu equilíbrio.

Ore, e não tema nada: Não tenha receio dos infortúnios, nem dos desastres. A oração os afastará e o protegerá. Lembre-se de são Pedro, que tinha pouca fé e afundou[42]; de são Paulo, que orava na prisão; do monge a quem a oração livrou dos assaltos da tentação; da jovem que foi salva dos maus desejos de um soldado pela oração; e de outros casos semelhantes que mostram a força, o poder e a universalidade da prece em nome de Jesus.

Ore de um modo ou de outro, mas ore sempre e não se deixe distrair por nada: A oração arrumará tudo e o instruirá. Lembre-se das palavras dos santos João Crisóstomo e Marcos o Asceta sobre o poder da oração. O primeiro declara que a oração, mesmo oferecida por nós que somos cheios de pecados, nos purifica imediatamente. O segundo diz: “Orar de qualquer maneira está em nosso poder, mas orar com pureza é um dom da graça.” Ofereça portanto a Deus aquilo que estiver ao seu alcance oferecer. Dedique-lhe primeiro a simples quantidade, que está dentro das suas possibilidades, e Deus derramará a força divina em sua fraqueza.

A oração, ainda que seca e distraída, desde que contínua, criará um hábito, tornar-se-á uma segunda natureza e se transformará na prece pura e luminosa, na admirável oração de fogo.

Para concluir, note que, se o tempo de sua vigilância e de sua oração se prolonga, simplesmente não lhe restará mais tempo para realizar más ações, nem sequer para pensar nelas.

Veem vocês agora, quão profundos pensamentos estão concentrados nesta sábia afirmação: “Ame, e faça o que quiser”? Quanto conforto e consolo para o pecador esgotado por suas fraquezas e que geme sob o fardo de suas paixões desgovernadas.

A oração. Eis o que nos foi dado como meio de salvação universal, para fazer a alma crescer em perfeição. Isto é tudo. Mas quando falamos de oração, deve ficar estabelecida uma condição. Ore sem cessar, é o mandamento do Verbo de Deus. Por conseguinte, a oração revelará sua maior eficácia e todos os seus frutos na medida em que for oferecida muitíssimas vezes, continuamente; pois a frequência da prece depende indubitavelmente de nossa vontade, enquanto que a pureza, o zelo e a perfeição da oração são dons da graça.

Assim, oremos tanto quanto possível. Consagremos toda a nossa vida à oração, mesmo se de início ela esteja sujeita a distrações. A prática frequente nos ensinará a atenção. A quantidade conduzirá certamente à qualidade. “Se você quiser aprender a fazer direito seja lá o que for, é preciso repeti-lo tanto quanto possível”, diz um velho mestre espiritual.